"ELA RESOLVE"

13:43 universo amor 0 Comentários



Durante muito tempo tentei esconder minha profissão. Quando as pessoas me perguntavam sobre isso eu logo respondia “trabalho na área da saúde” quando elas insistiam eu tentava, “trabalho na prefeitura, com promoção de saúde” para os mais curiosos detalhava “faço grupos, dinâmicas, nosso objetivo é prevenir doenças, levar informação, orientação” e quando não tinha mais jeito mesmo respondia com certo pesar, “sou psicóloga”.
O receio em dizer logo de cara o que faço profissionalmente se dá a maneira como algumas pessoas encaram os psicólogos e a psicologia. Há quem diga que psicólogo não serve para nada. Há quem insiste que psicólogo é coisa de gente louca. Há ainda aqueles que pensam que os psicólogos por serem OS loucos estudam psicologia para se curar e há aqueles que acreditam que os psicólogos leem pensamentos, possuem uma VARINHA MÁGICA, uma BOLA DE CRISTAL, por isso sabem de tudo sobre todos, são especialistas em solucionar os problemas da humanidade como um Super-homem ou mulher-maravilha. E ai daquele psicólogo que demonstra ansiedade, insegurança, enfrenta uma depressão... esse não é um bom profissional!
Antes de qualquer coisa somos HUMANOS. Insegurança, ansiedade, depressão, medo, raiva, tristeza, gripe, dor de cabeça, ira, são coisas de gente que sente, gente que vive, gente que pensa e gente que PERCEBE o mundo ao seu redor com uma certa dose de sensibilidade.
Supor que quando pegamos nosso diploma não enfrentaremos coisas desse tipo é também dizer que o pastor ao se formar não mais cometerá erros ou pecados. É exigir que um médico nunca mais fique doente depois de receber seu diploma em medicina. Isso é uma utopia.
Sinto vontade de chorar quando vejo gente linda na minha frente relatando o que fez nos últimos dias para tentar se matar. (Não choro, pois assim não ajudaria muito, mas a vontade está lá) Tenho vontade de usar tudo que aprendi na defesa pessoal contra aquele que abusou sexualmente de uma criança ou adolescente mesmo este “abusador” sendo outro adolescente (nesses casos tratamos os dois como vítimas). Tenho vontade de levar para casa a menina que se prostitui com apenas 14 anos cujo sonho é acordar pela manhã e ter um café preparado pela mãe que não lhe dá atenção, ela só queria isso!
Muitas crianças encaminhadas para o psicólogo não precisariam estar lá caso tivessem pais dispostos a exercer o seu papel. Muitas mulheres não precisariam estar na terapia caso tivessem maridos que compreendessem suas aflições. Muitos homens não teriam um infarto ou cometeriam suicídio caso sua masculinidade não fosse colocada à prova por ele dizer o que sente e por derramar lágrimas algumas vezes. Muitas dificuldades de aprendizagem se resolveriam se os pais fizessem o dever de casa com seus filhos e depois brincassem um pouco com eles antes de afundar no sofá para relaxar em frente à televisão. Mas muitas dessas pessoas não querem assumir as responsabilidades de escolhas que um dia fizeram e ENCAMINHAM seus filhos, esposas, colegas de trabalho na esperança que os psicólogos resolvam seus problemas. NÃO RESOLVEMOS! Não desse jeito...
Antes que você se desespere e pense que isso invalida uma classe de trabalhadores, uma ciência e profissão digo, não resolvemos tudo SOZINHOS. VOCÊ PRECISA FAZER A SUA PARTE! Não tenho como ir até sua casa cozinhar para sua filha, não posso colocar o que você deve comer no seu prato, nem escolher o que compra no supermercado. Não consigo te visitar a noite, não posso ler para seu filho antes que ele pegue no sono. Isso é você quem tem que fazer!
Por estar de fora de uma situação posso te ajudar a ver as coisas por outro ângulo criando uma nova perspectiva, resignificando fatos, posso ouvir sem te julgar e isso por si só já é terapêutico. Posso fazer você resgatar uma consciência e uma motivação escondidas por aí no meio dessa bagunça toda que se tornou seu coração. Não estou a todo momento ao seu lado para indicar como deve reagir aos seus relacionamentos interpessoais, mas posso te ajudar a refletir sobre eles. É um pouco disso que faço profissionalmente e um pouco de quem sou.
Eu sou a Ana, tenho 1,64 de altura, peso 50 kg, não consigo carregar você no colo, tampouco colocar o peso dos problemas do mundo nas costas! Minha profissão? Psicóloga. Nem por isso sei de tudo, não tenho solução para tudo, mas caso precise claro que você pode me procurar, farei o melhor que puder por você, me comprometo a estudar aquilo que não sei, estarei ao seu lado, mas não SOU você. Tenho meus limites e SUA parte é você quem precisa fazer!
Finalizo com a indagação do meu amigo Freud...

“QUAL A SUA RESPONSABILIDADE NA DESORDEM DA QUAL VOCÊ SE QUEIXA?”
Pense nisso

0 comentários: