O CASAMENTO DO MEU EX

07:33 universo amor 0 Comentários


12 de junho, dia dos namorados. Sim, Ele se casou! E a sensação é um pouco estranha. Pensei em meu ajoelhar e agradecer por isso, em comemorar de alguma forma comprando roupas novas talvez, (nada mau hein) pensei em fazer uma tatuagem e juntar comemorações dos  ritos de passagem, estou “trintando” pra quem não sabe. Pular da ponte entrou no repertório também (o que seria dramático e idiota demais, afinal eu não mereço isso, ninguém merece) e prefiro chamar atenção pelos meus talentos não por meus dramas particulares.
O fato é que a sensação de estranheza tomou conta do pedaço e isso é suficientemente incômodo a ponto de me fazer escrever. É similar a quando se tem um enjoo, depois que você vomita passa. Eis-me aqui dispensando minha sopa intragável de letrinhas do não sei o quê. Detesto não saber das coisas que julgo importantes, detesto não saber nomear os sentimentos e decifrar os caminhos que eles percorrem.
O fato é que eu esperava mais nesse momento, eu achava que deveria estar me descabelando, desesperada, chorando, muito triste (mas essa fase passou depois do término) ou muito alegre (depois de um tempo, essa desconheço como é) quanto mais consciência temos do que é realmente a vida, menos essa segunda possibilidade existe. Eu esperava que qualquer reação que fosse deveria ter uma intensidade que na verdade não existe por aqui.
É uma sensação parecida com aquela de quando se toma antidepressivos e você se sente letárgico. Apatia, inércia e/ou desinteresse. Depois isso passa e aí a síndrome do pensamento acelerado aparece. Como é que será o vestido? Ela vai estar bonita? Ele super feliz? Claro que vai, afinal, ela é linda e se parece comigo. Ele também, estará realizando o sonho da vida. Dá uma vontade cruel de desejar que ele erre o nome dela na hora dos votos ou vice-versa, aparecer por lá, afinal é tão perto e tão fácil burlar a segurança, mil e uma coisas. Mas, Minha CARA, me diz, pra quê? de onde vem isso? Na verdade eu não queria nada disso, e continuo não querendo. O que intriga e causa enjoo são essas coisas que a gente faz com a gente. Inventar saudade, supor amor onde existe outras coisas também, insistir no errado quando se sabe o que é certo. É esse jogo de boicote e autocomiseração que não nos leva a lugar algum que é o problema. Muita gente faz isso, arrisco em dizer que todo mundo já fez isso ao menos uma vez na vida. Teve medo da proposta nova de emprego, recusou a vaga inventando uma desculpa, disse não pro carinha legal só porque não quer se envolver e ver o que pode ser, esse lugar confortavelmente desconfortável...sei...sei como é
Eu só esperava mais pra hoje, algo mais, além de só querer vomitar. E de onde vem e pra onde vai não me interessa. Cansei de tentar entender certas coisas faz tempo. E para o meu não saber me conforta apenas aceitar e reconhecer que, no Universo chamado Amor essas coisas acontecem.

Mais tarde ele vai pra casa nova depois que chegar de viagem, eu continuarei na minha depois que renovar meu passaporte e meus desejos de ser livre e só até encontrar quem  definitivamente queira ser livre JUNTO comigo! grudadinho a mim! Enquanto isso vou ali caminhar e tomar sol antes de continuar a escrever meu livro novo. Cada um segue na vida que escolheu pra si. Nós seguimos. Hoje é 12 de junho, dia dos namorados, casamento do meu ex...e? a propósito o que faltou dizer, o dia tá lindo! Até quando não sei, mas tá lindo pra mim! E pra vc?

♥ 
obs: a foto é do Perfect day da linda Renata Meins

0 comentários: